Qual o risco de colocar lente no dente?

Com o tempo, os tratamentos estéticos passaram a ser muito procurados nas clínicas odontológicas de todo o país. Por ser um procedimento realizado com frequência, as lentes nos dentes são as preferidas dos pacientes por sua finalidade: oferecem um sorriso belo e harmonioso. Apesar das centenas de benefícios, no entanto, é importante destacar os riscos da lente no dente. 

Em geral, esses problemas podem surgir devido à falta de experiência, negligência profissional, investigações, planejamento clínico e procedimentos. Continue lendo para aprender mais sobre este tópico. 

Muitas pessoas imaginam que é essencial que os dentes naturais estejam perfeitamente dispostos e alinhados. No entanto, as superfícies dentais são regiões sensíveis que podem mudar de cor no dentiforme devido ao uso constante de antibióticos, contato excessivo e flúor. 

O esmalte comprometido é mais escuro e parece mais intenso, o que dificulta o processo de clareamento profissional e cria um impacto visual negativo no sorriso. 

A cor das lentes dos dentes é um aspecto importante que muitos pacientes procuram neste tipo de tratamento. Isso se deve ao uso de um material que indica uma correção, mas com baixa intensidade. Pacientes com dentes tortos, por exemplo, que recebem restauração dentária com resinas, podem não receber esse tratamento. 

O uso de técnicas que promovem uma brancura intensa promove tratamentos não naturais e artificiais

Para promover o tratamento, o folheado de porcelana tornou-se uma opção viável e indicada por ser um material versátil. 

Por ser um procedimento invasivo, é considerado uma das tarefas mais difíceis da odontologia, independentemente do material utilizado. Frágeis, o descuido dos profissionais pode afetar o resultado final, e lentes muito finas ou de alta qualidade ficam inacessíveis ao público. 

Como já apontamos na delicadeza desta peça, existe um grande risco das lentes dos dentes, mas os pontos negativos não param. 

Por outro lado, o tratamento é realizado em esmalte. Por outro lado, a falta de suporte limita a possibilidade de correção da forma e da cor dos dentes naturais. 

Em outras palavras, a lente no dente se adapta excessivamente, causando inflamação severa e o acumulo de bolsas de pus no tecido gengival. Em qualquer situação, a utilização de técnicas baseadas no uso de toras folheadas reduz a usabilidade dos recursos. 

É importante ressaltar que diagnósticos incorretos e planeamentos inadequados permitem situações graves e riscos das lentes de contato odontológicas. 

Placas finas de porcelana podem ser produzidas na cor desejada, mas não é possível iluminar tudo de uma vez. Finalmente, é importante que saibamos de onde vêm as lentes de contato, portanto, vamos fazer um breve resumo da história. 

Isso é ideal porque estamos falando sobre o valor que entra na avaliação e, neste caso, a avaliação por um especialista. Afinal, seu sorriso é único. 

As facetas, que deveriam cobrir os dentes para melhorar sua função estética, foram inventadas em 1928 pelo dentista californiano Charles Pincus. 

Originalmente, deveriam ser usados em gravações de filmes para mudar a aparência de um ator. Naquela época, não existiam técnicas de cimento adesivo e o processo tinha pouca durabilidade. 

Nos tempos modernos, são atribuídas às cerâmicas propriedades básicas que as tornam uma boa alternativa aos materiais restauradores, como resistência à compressão, condutividade térmica semelhante ao tecido dentário, capacidade de raios X, integridade de limite, estabilidade de cor, biomicria e baixa retenção de biofilmes bacterianos.

 O aprimoramento da cerâmica é constante e visa atender aos requisitos óticos, biológicos, mecânicos e funcionais de forma a ampliar as indicações clínicas. 

Continue lendo para saber mais sobre a história da bicectomia, preços, dicas de tratamento e muito mais. As primeiras cerâmicas feldspáticas foram produzidas com um alto ponto de fusão presente em um vidro de potássio e feldspato com uma pequena adição de quartzo. 

Com o tempo, leucita e dissilicato de lítio foram adicionados à composição das cerâmicas feldspáticas, melhorando significativamente as propriedades mecânicas sem comprometer a qualidade ótica do material. 

As cerâmicas reforçadas com alumina, cuja resistência é significativamente menor que as cerâmicas convencionais sem perder as propriedades estéticas, contêm em sua composição até 50% de desóxido de alumina, o que promove a redução da translucidez. 

A menor resistência reduz a indicação das coroas anteriores únicas e leva a uma menor força oclusal. Diante disso, a escolha da melhor cerâmica depende do material mais adequado para o caso clínico, levando em consideração as necessidades estéticas, as expectativas do paciente e a resistência exigida na área de trabalho. 

Com base nesses princípios, as cerâmicas reforçadas com dissilicato de lítio são as mais adequadas para a produção de lentes de contato laminadas devido às suas excelentes propriedades óticas e alta translucidez, que permitem excelente interação com a luz para restauração de espécimes dentários em combinação com resistência à flexão. 

Como o desgaste invasivo é comum na odontologia, também é possível usar peças de cerâmica com espessura mínima ou sensível para lentes nos dentes. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.