Retratação gengival x lente de contato dental defeituosa

Dentes perfeitos é o sonho de qualquer pessoa, principalmente porque o sorriso é o cartão de visita que termos. Eles cobrem apenas as partes estéticas e visíveis dos dentes e utilizam delicadas placas de porcelana que requerem gengivas alinhadas e saudáveis ​​para que os resultados sejam mais naturais e harmoniosos com o sorriso.

A construção de gengivas mais estéticas pode exigir cirurgia detalhada, como gengivoplastia e gengivectomia. O problema, porém, é que erros no formato e localização das lentes de contato dentais podem estar por trás da retração gengival que ocorre alguns meses ou anos após o término do tratamento. 

E quando isso acontece, o paciente acometido por essa doença recessiva quase sempre vem acompanhado de noites sem dormir e frustração com o dano estético.

Retratação gengival: principais causas desse problema que hoje é tão comum

A retração gengival é um dos principais motivos de consulta ao periodontista, o dentista especialista em gengiva. Além de danos estéticos, esse distúrbio recessivo também pode causar problemas como dor e sensibilidade e dificuldade para remover a placa. 

Portanto, é necessário entender o que está por trás da exposição das raízes dos dentes para evitar que o problema progrida. A recessão gengival é o resultado da destruição do periodonto, estrutura formada pelo osso e pelo ligamento periodontal que envolve as raízes dos dentes. 

Na maioria das vezes, é o resultado de doença periodontal, uma infecção bacteriana associada à má higiene oral ou pressão excessiva das cerdas das escovas de dente nas gengivas (escovagem traumática).

Poucos meses ou anos após a aplicação das facetas laminadas, as gengivas podem recuar e surpreender o paciente mais distraído que não tem o hábito de examinar os dentes durante a higiene bucal. 

Como isso pode eventualmente acontecer? Se o tratamento for realizado de acordo com os protocolos de planejamento e execução, basta que o paciente mantenha a gengiva livre de placas bacterianas para que nenhum tipo de recessão tecidual ocorra ao longo dos anos.

Antes de entender o mecanismo que puxa as gengivas para trás após a inserção de lentes de contato defeituosas, é necessário saber quais defeitos estão presentes nesses laminados que estão por trás dessa complicação estética e funcional:

  • Para melhorar os resultados estéticos e ocultar as bordas das lentes de contato dentais, muitos dentistas posicionam os limites desses laminados cerâmicos muito dentro do sulco gengival, um pequeno espaço entre o dente e a gengiva que, na maioria das pessoas saudáveis, é tecido, uma média de 2 mm. Quando esse espaço é reduzido, o organismo naturalmente tende a restaurá-lo por meio da retração espontânea das gengivas.
  • Lentes de contato dentais mal ajustadas estimulam o acúmulo de placa bacteriana e a ocorrência de doença periodontal a penetração de cáries dentárias e a sensibilidade a alimentos frios.
  • As bordas grossas das lentes de contato dentais podem ser utilizadas para mascarar as nuances escuras dos dentes ou para destacar os contornos desses laminados quando feitos com cores muito próximas ao branco. O problema com o aumento da espessura da borda é que ela facilita o acúmulo da placa bacteriana e também dificulta a remoção durante a escovação e o uso do fio dental o que favorece a instalação de gengivite e doença periodontal.

Cobrir a raiz exposta do dente com uma lente de contato dentária sem retrair as gengivas

Com o nome técnico de cirurgia para cobertura de raízes dentárias expostas, pode ser realizada com a técnica simples ou em conjunto com um enxerto de gengiva. 

Apesar de eficiente, essa técnica cirúrgica pode ser substituída por lentes de contato dentais para cobrir pequenas recessões gengivais o que, além de melhora estética, permite proteção contra o desgaste dentário pela escova e elimina a sensibilidade dentária.

Retração gengival extensa não deve ser coberta com uma faceta de porcelana e lentes de contato dentais. Isso muitas vezes leva a problemas como estiramento excessivo do dente, sendo assim seu resultado estético pode ser desastroso e pequenas marcas de fratura, que causam frustração no tratamento após um tratamento com lentes de contato odontológicas, não há problemas nesse sentido. 

Os resultados do procedimento cirúrgico não serão afetados pela presença de facetas dentárias laminadas, desde que posicionadas de forma compatível com o tecido gengival.

Além do problema mencionado, você pode ter outros problemas, tais como:

  • A formação permanente de placa bacteriana até as bordas das facetas dentárias ou distúrbios de adaptação são causas para uma infiltração de cárie, que pode atingir o interior do dente se não removido a tempo requer tratamento de canal radicular (endodôntico).
  • O desgaste dentário excessivo durante procedimentos com veias de porcelana ou coberturas radiculares em dentes com retração gengival pode causar dor e aumento da sensibilidade ao ingerir líquidos ou alimentos frios.
  • As lentes de contato dentais com bordas grossas e gengivas inchadas estimulam a formação de placa que, se não for removida adequadamente por vários dias, pode levar ao mau hálito.

Pessoas com próteses fixas de cerâmica, facetas de cerâmica e facetas de resina sintética precisam de consultas regulares em intervalos mais curtos. 

O objetivo dessas consultas, para verificar e manter a saúde das gengivas e dentes, é importante não só para a longevidade dessas próteses, mas também para a prevenção de problemas gengivais. Os dentistas, para usuários de facetas de porcelana e lentes de contato dentais, realizam exames detalhados que examinam a presença de sangramento nas gengivas e perda de inserção periodontal (recessão gengival). 

Além disso, a profilaxia cuidadosa desses laminados com instrumentos que não riscam a superfície completa a manutenção da saúde gengival e prolonga a vida útil das facetas dentárias laminadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.